Introdução e Índice:

http://www1.webng.com/curupira/index.html Email derneval@gmail.com Índice


BARATA ELÉTRICA

Introdução:

São Paulo, 4/12/97

Bom, finalmente mais um fanzine.. Impressionante. Eu comecei essa coisa só pra quebrar um galho e agora já chegou no 17a edição. Acho que o negócio seria 17 e 18, dado o material que estou colocando.. Aconteceu muita coisa desde a última edição do fanzine. Participei de alguns testes de seleção, mudei do lugar onde estava morando (e escapei de uma fritura por razões político-estudantis), não arrumei um emprego, finalmente tô na Pós, (uma das minhas grandes ambições), sem falar numa conferência lá na Bahia, cuja capital eu não conhecia. Não fui nas conferências de fora, mas teve uma aqui dentro que valeu a pena e falo dela mais adiante. São Paulo finalmente está tendo encontros de hackers, mas dada a incerteza do local, não vou publicar no Barata. Mais tarde vou fazer uma página só de encontros hackers no Brasil.

Por enquanto acho mais negócio escrever sobre como "segurar a língua", já que notei que a maioria dos caras que conheço no Brasil é extremamente vulnerável a vários tipos de interrogatórios e merecem muito mais não saber nada, já que não sabem guardar um segredo. Ouvi umas histórias de perseguição por aí que achava ser coisa do tempo da ditadura. Falando nisso, resolvi desencavar um outro assunto, que não tem tanto a ver com hacking, mas com a série: "Batalha pela Mente". No fundo tem informação que pode ser de interesse para o fussador comum, afinal de contas, quantas pessoas se dão conta de que o cérebro é um computador passível de ser programado? E o que é pior, com o cérebro, não tem essa de reformatar não. Aliás até tem, mas nunca mais vai funcionar igual..

Pensando nisso, resolvi colocar um texto da Opus Night. Tenho uma vaga idéia do autor e do tempo que ele levou para produzir essa obra prima (acho que uns 20 minutos). O problema é que aqui na USP, existe um tal de ser chamado pra bate-papos bíblicos e é sempre a mesma coisa: sempre é uma pessoa do mesmo sexo que aborda. Tento ser educado com todo mundo, uns truques que aprendi foi falar que é da umbanda, que é aidético, montes de coisas. Eu costumava falar que era discípulo de Tantra. Que que isso? "Ah, é o uso do sexo para: (dois pontos) através do orgasmo (vírgula) alcançar a comunicação com Deus (ponto)".  Era interessante ver a transformação no rosto da pessoa, aquele esforço de auto-controle. Chato é que se você aceita o convite pro batepapo, são piores que carrapato, apesar de educados.

Nos EUA já existe esse tipo de coisa, texto escrachando com a religião. É chamado de Slack. Sim, tem a ver com Slackware.. A religião Slack é feita sob medida pro programador que quer acreditar em algo. Eu nunca consegui ler muito sobre isso, mas um dos lemas da religião Slack é: "Salvação Garantida ou o triplo do seu dinheiro de volta!". Um texto deles é: "Como encontrei a divindade e as coisas que fiz com ela". Mais informações, procura no Yahoo, Lycos, etc, etc..

Outro texto que achei interessante foi é aquele texto humorístico sobre o futuro de gente como a gente.. (Exu Tranca Rede) os únicos a realmente entender de informática vão ser os que hoje ocupam posição semelhante a de office-boys.. achei engraçado, mas ô futuro...

Coisa ruim também o que está acontecendo com o Kevin Mitnick. Eu realmente não queria estar na pele dele. E depois riem da minha preocupação em não escrever nada sério. Pelo menos eu posso dormir mais ou menos tranquilo. A imprensa dita "comum" dificilmente faz alguma coisa. Como dificilmente faz alguma coisa pelo Sérgio Fleury Morais. Nunca ouviram falar? Ele é o dono do Jornal "O debate". Ficou em cana um tempão simplesmente porque editou algumas notícias e o juiz local não gostou. Botou o cara literalmente em cana. Minha última notícia é que ele tava tentando levantar uma grana gigantesca pra não perder o jornal. Eu já tive vontade de processar gente, aliás, já processei. Só não acho que nesse caso o cara teve algo justo. No caso do Kevin igualmente. Julgamento justo é um direito de todos. Pelo menos deveria ser. Li na revista VEJA, que o Ministro da Justiça, Íris Rezende também disse: "O Crime, as vezes, é inevitável".  

Várias pessoas escreveram me dando a maior força no meu atual problema quanto a emprego e agradeço a preocupação. Ainda não achei nada. Mas também não procurei muito. Algumas vezes acontece da pessoa falar que vai me ajudar, quer ver meu currículo, não sei o que e no final era apenas uma promessa pra conseguir uma atenção maior ou informações sobre a minha vida. Por essas e outras, resolvi investir em formação acadêmica e entrei na Pós. Li tudo quanto é livro sobre Jornalismo (quase uns 12 dos 17 da bibliografia mínima), mas NÃO me deixaram fazer Pós em Jornalismo. Queriam nota 7.0 e eu tirei 5.0. Tudo bem. Não vou levar pro lado pessoal. Qualquer dia vão fazer uma tese sobre imprensa alternativa ou pior, sobre o Jornalismo na Web. Não vão poder dizer que minha formação foi culpa da Escola de Comunicação e Artes da USP.

Bom, vou parando por aqui. Se tudo funcionar legal, outro número do Fanzine deve vir. Quem sabe, ainda este ano. Boa leitura.

ÍNDICE:

GN=Left> Quem conta seus Segredos...

  • News - Dicas - Humor - Sei lá o que mais..

  • Bibliografia (acho que vou deixar de fora, tá tudo espalhado no texto)